terça-feira, agosto 22, 2006

O nascimento do Islã

Por Brenno Sarques

A compreensão da atualidade passa pelo conhecimento do passado. Os conflitos religiosos, políticos e culturais presentes, hoje, no Oriente Médio são a prova clara de que “ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais”. Assim, saber os fundamentos da religião muçulmana e da cultura islâmica significa entender parte dos motivos de guerras históricas, ódio e adoração.
Assim como Cristo é considerado o escolhido de Deus pelos cristãos, Maomé é a figura homônima para os muçulmanos. Mas, quem foi Maomé? O que sabemos sobre o fundador de uma da religião que mais cresce no mundo?

O profeta
Maomé nasceu no ano 570 d.C. em Meca, e viveu até 632 d.C. Meca é uma cidade da atual Arábia Saudita. Com a perda do pai, antes de seu nascimento, um membro do clã Hashim da poderosa tribo Quraysh, e da mãe, Amina, quando ele tinha apenas 06 anos, Maomé foi morar com o seu avô, o guardião da Ka'aba, templo nacional do povo árabe. Dois anos mais tarde, com a morte de seu avô, Maomé, aos 8 anos de idade, foi morar com seu tio, Abu Talib, que negociava junto às grandes rotas de comércio em camelos.

Maomé foi empregado por Khadija, uma viúva rica. Aos 25 anos casou-se com ela, com quem teve 6 filhos - todos mortos, exceto a filha caçula, Fátima. O casamento durou 25 anos. Mais tarde depois da morte da esposa, Maomé adotou a poligamia, casando-se com várias mulheres. Pode parecer estranho, mas o que Maomé fez foi legitimar religiosamente uma prática comum na região, uma vez que havia um grande número de viúvas que eram “integradas” a uma vida familiar por um outro homem, já casado.

Aos 40 anos, ficou muito preocupado com a situação de seus compatriotas e gastou muito de seu tempo em meditação sobre assuntos religiosos. Durante o mês de Ramadan, que é o nono mês no calendário lunar muçulmano, Maomé retirava-se para uma caverna na encosta do Monte Hira, a cerca de 5 km de Meca. Foi durante uma destas ocasiões que ele começou a receber revelações e instruções que ele acreditava serem do arcanjo Gabriel. Estes escritos formam a base do Alcorão. Foi em Meca ele começou a ensinar a nova religião, mas fugiu de lá para Medina em 622, quando soube que a tribo Quraysh planejava acabar com a sua vida.

Os profetas são seres de percepção apurada, com um olhar socialmente peculiar. Assim como na atualidade, Maomé passou parte da juventude num tempo de agitação econômica e desigualdade entre os ricos e os pobres. Historiadoes muçulmanos afirmam que mesmo quando menino, Maomé já detestava a adoração a ídolos, e que levava uma vida moralmente pura.

Maomé, para os muçulmanos, foi o escolhido para receber os ensinamentos de Deus, por meio do arcanjo Gabriel. Os ensinamentos divinos atingem não somente a fé, mas também os costumes e as leis de seus seguidores. Por isso, grande parte dos países de religião predominantemente islâmica tem um vínculo visceral entre religião e governo, onde líderes islâmicos têm, muitas vezes, mais influência do que representantes políticos.

Todavia, não foi fácil convencer as tribos da região de que Deus havia escolhido tal homem para ser seu porta-voz. Maomé teve que enfrentar os líderes politeístas de Meca, onde cada tribo tinha o seu próprio deus, ao qual se rendia culto num santuário comum, a Ka'aba (onde seu avô era guardião). Lá encontravam-se 360 ídolos. O mais importante era a "pedra negra" um tipo de meteorito adorado pelas tribos. Além disto haviam mais de 124.000 profetas conhecidos na época. Convencer a todos de que uma nova doutrina religiosa e monoteísta deveria ser seguida era algo realmente homérico.

Convencimento e guerra
A idéia da "Jihad" surgiu quando Maomé se encontrava em Medina, depois de fugir de Meca. O profeta precisava de se defender dos habitantes de Meca e para isso era necessário organizar um exército, algo que exigia dinheiro. Por não dispor de tal fortuna, Maomé estabeleceu a constituição Medinense e instituiu o dogma da guerra santa.

Mais tarde Maomé entrou triunfante em Meca. Destruiu os ídolos de pedra com exceção da "pedra negra". O profeta declarou que o Alcorão era a revelação final e superior do único e supremo Deus. Ele ensinou que a vida do muçulmano deve ser completamente submissa a Alá, com cinco orações diárias em direção a Meca. Sexta-feira é o dia estabelecido para adoração coletiva na Mesquita, o templo muçulmano.

Depois foi a vez de sua obra política. As tribos do deserto converteram-se ao credo de Alá unificando e consolidando o novo modelo de religião-estado. Nessa altura o Islam afirmou-se não só como religião, mas também como comunidade organizada. Muito embora o próprio Maomé afirmasse que o que ele pregava não era uma nova religião, mas a continuação da revelação que Deus tinha dado aos profetas do Antigo Testamento e a Jesus, que não considerava Filho de Deus, mas um grande profeta que devia ser obedecido.

Além do Alcorão, há o livro de Hadiths. O Hadiths compreende os ensinos de Maomé, e é tão importante quanto o Alcorão em todas as áreas da vida do muçulmano.Maomé morreu em 632 d.C. em Medina na Arábia Saudita, onde se encontram seus restos mortais.

Conheça um pouco do mundo árabe islâmico

- Os árabes são de origem semita, assim como os judeus.

- Os árabes são identificados como descendentes de Ismael, filho de Abraão e Agar. Eles viviam
em tribos independentes, governadas por neques.

- Ao contrário do que se imagina, nem todo árabe é muçulmano. De fato, apenas 18% dos Muçulmanos são árabes dentre a estimativa de um bilhão e duzentos milhões de pessoas.

- A palavra "Islam" significa simplesmente submissão a Deus, e "muçulmano" ou submisso é aquele que segue as leis do Islamismo.

- "Maomé" não é apenas um nome, mas um título que significa "O louvado" ou ainda "digno de louvor".

- Alcorão, vem do árabe"al-Quram", e significa "o recitativo" ou "o discurso".

- Alá, significa Deus, em árabe.

- O termo “Jihad” significa “guerra santa”, mas foi criado especificamente para Maomé invadir a cidade de Meca. Muitos muçulmanos evocam a jihad para os conflitos atuais.

- Durante sua vida Maomé conheceu muitos cristãos, sacerdotes e judeus. Muitas vezes buscou conselho de um monge jacobino que lhe ensinou vários aspectos dos costumes religiosos judaicos.

- O calendário muçulmano inicia no dia desta fuga, conhecida como hégira (Hijra).

- O islamismo é dividido em vários grupos, os maiores são os sunitas e os xiitas.

8 Comments:

Blogger G Braga said...

Oi Brenno!
Vc sabe que eu aprendo um monte de coisas aqui no seu blog. Vc deveria fazer Rel. Beijos,
G

11:09 PM

 
Blogger G Braga said...

Oi Brenno!
Vc sabe que eu aprendo um montao de coisas aqui no seu blog!
Vc deveria fazer REL.
Um beijao

11:10 PM

 
Blogger O Levante said...

Ô, desse jeito eu fico lisonjeado....
valeu

3:38 PM

 
Anonymous Anônimo said...

Ajudoou meeu trabalhoo !!

yupp, esse boenno é o caraa pohaa ;
-

5:38 PM

 
Anonymous Joice said...

Oiii Brenno oseu BLOG me ajudou sabe porque?Porque isso e ótimo.
Ahhhhhhhhhhhhhhh...

2:20 PM

 
Anonymous Anônimo said...

Oii Brenno. O seu blog ajudou MUITO no meu Trabalho!!
BeeiijO

3:35 PM

 
Anonymous Anônimo said...

Oi Brenno. O seu Blog ajudou MUITO no meu Trabalhoo!
BeeiijO

3:36 PM

 
Anonymous Anônimo said...

Obg , seu blog é muito legal :D

8:04 PM

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home